design own website

LENDAS E CONTOS

  A Lenda da Moura

Existe um lugar chamado fraga da Moura e consta que uma moura levou à cabeça,
desse lugar, um pedregulho para o outro lado da freguesia, cerca de 2,5 Km, levando
no regaço o seu filho ainda pequeno. Chama-se fraga da Moura porque existe lá uma
lage, que segundo a lenda, era uma caverna do tempo dos mouros onde dizem existir
garfos, colheres e um tabuleiro desenhado na parede. Dizem que quem lá entrar nunca
mais sai e que lá dentro não se consegue respirar.
Achámos a lenda engraçada e, cheios de curiosidade, resolvemos ir ver a dita
caverna. Ao chegar encontramos uma lage, a qual está assente em pedra na parte sul e
na oeste. Na parte norte e este encontrámos indícios da existência de um muro, que
deveria tapar toda a parte este e quase toda a parte norte da dita caverna.
Aquela caverna, com o muro completo, deveria ser escurae, por isso, os povos
ao longo dos anos foram criando esta lenda, a qual tende a desaparecer.



A igreja de S. Martinho de Alva caracteriza-se pela sua arquitectura tardo-barroca e neoclássica, aparecia já, referenciada nas inquirições de D. Afonso III, em 1258.
O templo detém uma torre sineira adossada à nave e, no interior da igreja, sobressaem os retábulos de talha dourada e policromada, tardo-barrocos, detendo o principal tribuna e trono.

A Lenda da Mina de Ouro

Contam as pessoas mais idosas que havia uma pedra com letras que ninguém sabia
decifrar, nem os habitantes de cá nem as pessoas que vinhão de fora com o intuito de
a decifrar.
Essa pedra estava num muro de suporte no lugar denominado Pedra, e pelo que
os senhores mais idosos ainda hoje lá permanece.
Diz a lenda que entre a Regada e a Regadinha se encontra uma mina de ouro. Onde
não passa relha de arado nem pé de ovelha, e que quem conseguir decifrar as letras da
dita pedra, à mina de ouro irá ter.
Tudo se passa no lugar do Souto, verdade ou mentira, mantem-se o inigma
.

A Lenda da Nossa Senhora Do Castelo

No Lugar do Castelo, existem alguns penedos, os quais têm pequenas covas, uma
pia e alguns rectângulos. Acerca das pequenas covas afirma-se que são as pegadas da
burrinha da Nossa Senhora, as quais ficavam marcadas, na rocha à sua passagem. Os
rectângulos, segundo a lenda, são os sitios onde a burrinha se deitava para descansar.
Segundo a lenda esta Senhora foi levada para Vouzela e, por ter sido encontrada no
lugar do castelo, ficou a ser conhecida por Nossa Senhora do Castelo. Ela, depois de
ser levada para Vouzela , fugiu diversas vezes para o sítio onde tinha sido encontrada,
sendo levada novamente para Vouzela, onde ainda se encontra.
Estas covas levaram-nos a pensar que aquilo era formas de Arte Rupestre. Mas,
também pode ser efeitos da Natureza. A verdade, só um arqueólogo a poderá dizer.

AJUDE-NOS A AJUDAR

Deixe a sua opinião e ajude a melhorar a nossa freguesia.